O Resort 2018 da Gucci

5Entre os desfiles mais aguardados pelos fashionistas, a Gucci surpreendeu em todos os sentidos no seu Resort 2018. Após percorrer tantas cidades do mundo (da Califórnia a Kyoto), o show capitaneado pelo estilista Alessandro Michele aconteceu na Galeria Palatina do Palazzo Pitti, em Firenze, com uma atmosfera que transportava todos os convidados aos tempos renascentistas. Com direito a extravagâncias e aquele maximalismo já presente nas coleções desde que Michele assumiu a direção criativa da grife.

1

Desta vez, os vestígios do renascimento apareceram em vestidos com estampas que lembram tapeçarias, aplicações de laçarotes e tiaras com pérolas e pedrarias. Para contrastar com a estética aristocrática, Michele trouxe referências da década de 1970, como as padronagens psicodélicas e os turbantes com animal print, e jaquetas college, jeans com cós altíssimo e t-shirts com escritos, algumas trazem as variações “Gucci”,”Guccy” e “Guccify Yourself”. Um encontro da elegância de diferentes períodos com itens urbanos.

 

2O casaco de pelo e as meias com os “G”s criados pelo artista Trouble Andrew (o famoso “Gucci Ghost”) para o Inverno 2016 da marca, os bordados de flores e borboletas em shorts e cintos e os sapatos dourados voltaram à passarela como fortes símbolos da geração geeky criada por Alessandro Michele. Para arrematar o visual, detalhes nada comuns, como o óculos de grau e a sobreposição de meias (guarde este último como truque de styling para ver muito por aí!).

3

Dos mais de 110 looks, entre feminino e masculino, o vestido verde com franzidos e laços chamou muito a minha atenção. A tonalidade Greenery, cor do ano eleita pela Pantone, surgiu em um longo monocromático sofisticado e feminino. Repare nos pequenos detalhes. A gola de pelo e as pérolas contornando as linhas do rosto deixaram o visual inusitado e encantador.

4Como é bom ainda poder mergulhar nos universos criados pelas marcas. Além das roupas em si, os cenários e toda a composição do desfile são experiências de sonhar acordada. E como é delicioso poder se perder com a leveza da moda.

beijos, alice

Total Black

1

Quem já me acompanha há bastante tempo sabe que sou suspeita até o último fio de cabelo para falar de looks total black. Afinal, é o clássico “não tem erro”. Você pode usar qualquer hora do dia, qualquer ocasião e estar chique. Claro, não é só pelo preto, mas a modelagem, textura e os tecidos das peças têm uma importância enorme na hora de produzir um visual impactante e fashionista.

Uma das grandes sacadas do all black é brincar com sobreposições. No meu look, apostei nas “layers” formadas por uma blusa de malha cropped, suéter, calça pantacourt e a bota-meia. Adoro esse jogo de modelagens de diferentes – calça e blusa em comprimento curto e cano da bota alta. Esse truque de “esconder” a pele é perfeito pra alongar a silhueta.

6

Adoro como as marcas apresentam o all black de acordo com o seu DNA. É uma cor tão versátil! E o segredo de cada uma é investir nos detalhes certos. Brilhos, transparências, rendas e couro são transformadores.

3

Vamos às passarelas! A italiana Max Mara escolheu o veludo para ser o protagonista do visual de alfaiataria. Para um contraste chique e sutil, uma blusa turtle neck feita em cashmere foi a peça certa para arrematar. Na Dolce&Gabbana, o espírito jovem dominou o look composto por um tailleur de renda guipure e tweed. Ficou tão cool com aplicação de broches de gatinhos, meia-calça com a estampa animal print clássica da label e tênis. Já o couro foi o material estrela do visual power da Diesel Black Gold. Destaque para as mangas de tricô canelado e fenda.

Outra marca que apostou no couro foi a Joseph, mas, desta vez, all black leather! Sem dúvida, o material é perfeito para transmitir a mensagem de poder e elegância. Com direito a um ar aristocrata, a sempre très chic Alberta Ferretti escolheu o veludo para contrastar com elementos modernos, como a calça oversized e a blusa com efeito de segunda pele. Na coleção da Saint Laurent, o preto apareceu em uma estética oitentista, com ombros marcantes, vestidos assimétricos com renda e botas de cano alto.

4

Moodboard: 80’s Glam

// Moodboard Anos 80 //moadboard_80's_1

Ah, os anos 80! O revival da década dos brilhos veio forte nas últimas temporadas de inverno e verão. É incrível como os estilistas estão explorando as diversas facetas do glam em peças para usar, inclusive, durante o dia – por isso, esqueça completamente que metalizado é só para vestir em looks noturnos.

Entre os responsáveis pela volta deste brilho todo estão os estilistas Alessandro Michele, da Gucci, e Anthony Vaccarello, da Saint Laurent. O primeiro investiu na volta do maximalismo em saias midi plissadas que, além de brilhosas, ganharam estampas de coração. Sem falar nos óculos (nada discretos) com aplicação de cristais. E a febre não parou por aí! Michele permanece, a cada estação, trazendo ainda mais brilho para as suas peças extremamente cool e modernas. Na casa francesa, Vaccarello desenvolveu seu próprio estilo dentro da marca fundada por Yves Saint Laurent. Diferente de Hedi Slimane (estilista anterior), há muito paetê, minivestidos franzido de lamê, com modelagens justíssimas, ombros marcantes e animal print em materiais transparentes (e bordados). Verniz também é um ponto de arremate dos visuais oitentistas – assim como acessórios cheios de cor.

moadboard_80's_2

Pronta para entrar nessa?

Beijos, Alice