Leonard Paris

É indiscutível que a França tem as casas de moda mais importantes e tradicionais do mundo. Afinal, é por lá que grandes criadores contemporâneos passaram, estudaram e tiveram suas experiências. Hoje, além das icônicas Dior, Chanel, Louis Vuitton, Saint Laurent e Givenchy, por exemplo, há nomes menos conhecidos por aqui, mas que têm muita história para contar e relevância para o mundo fashion. Entre elas está a Leonard Paris que, assim como a Poiret, está de volta à cena com muita força. A label se manteve desfilando nas passarelas francesas, mas, recentemente, tem valorizado cada vez mais sua trajetória. Na última Paris Fashion Week, fui ao desfile e foi tão especial. Inclusive, lembrei que a primeira peça estampada que comprei, de uma marca internacional, foi da Leonard. Isso porque a grife, criada por Daniel Tribouillard, é conhecida pela revolução no processo de desenvolvimento de padronagens florais no início da década de 1960. Em apenas alguns anos, encorajado pelo sucesso dos seus padrões floridos, Tribouillard expandiu a marca para o cenário mundial – em 1968 – Tribouillard apresentou sua primeira coleção de vestidos em jersey de seda com um slogan enfatizando a leveza do tecido. E, além de todo seu talento para a estamparia, o estilista foi contratado pelo governo japonês, em 1983, para atualizar o quimono, sendo conhecido como o primeiro ocidental a fazê-lo na história.

Eu, que sou encantada pelos vários tipos de flower patten, fico tão contente em ver que a marca apresenta uma série de versões super desejáveis, femininas e modernas. Há desde as versões mais miúdas, como feita para a coleção de fall 2014, às opções maxi, algumas com aparência digital, outras aquareladas. Os contrastes de tonalidades são incríveis, assim como o styling, que propõe novas formas de usar o floral. Um universo de inspirações sem fim!

 

 

1 pessoa curtiu este post.

As biqueiras dos sapatos-desejo da Aquazzura

No mês passado, uma das marcas de sapatos mais desejadas pelas fashionistas desembarcou aqui no Brasil. Agora temos Aquazzura no Shopping Cidade Jardim – e a boutique tem um décor tropical e altamente fotogênico! Nas prateleiras, os hits criados pelo designer Edgardo Osorio com detalhes especiais. Entre as suas assinaturas estão as biqueiras, que são trabalhadas de diversas formas nos sapatos, e a estampa leopardo. Para o jantar de celebração da abertura da loja, apostei na flat chamada Mondaine com três nós e feita com couro em animal print e bico fino preto. Repare como a peça foi transformadora no visual de alfaiataria. É o ponto de destaque perfeito do look!

Há outros itens marcantes e que podem ser o elemento-chave da produção. A mule Optic é composta pela biqueira com padronagem de leopardo feita em couro com partes em PVC – um material muito usado nas últimas temporadas. Adoro o contraste! O modelo fica moderno e elegante na medida. Outra criação que combina transparência é o pump com salto bloco e bico redondo preto. Já a versão com salto do Mondaine surge com mix de lurex e couro, com nós pink e bico preto.

Incrível como algumas características podem transformar completamente os sapatos. E não é à toa que alguns designers alcançam tanto sucesso. O melhor é que a criatividade não tem limites e sempre teremos novos desejos e itens para suspirar.

1 pessoa curtiu este post.

Trend hits: Beige

É divertido ver como não há tantas limitações para cores como antigamente. Na moda, o costume era eleger uma tonalidade e usá-la até cansar. Hoje, estamos apaixonadas pela cartela solar, mas já de olho no no visual monocromático composto pelo bege. O neutro apareceu em coleções elegantíssimas nas passarelas de NY, Londres, Milão e Paris. A novidade é que as produções permitem ousadia de sobra em acessórios e texturas mais leves, principalmente no verão que chega em breve!

Os destaques vão para a primeira coleção de Riccardo Tisci para a Burberry, com direito à aplicações de metais nas bordas dos trench coats; na Dior, o tom mais acinzentado dominou o visual, enquanto a Prada seguiu o nude tradicional, sem direcionamentos para outras cores; Para Fendi e Balmain, a versão que entra na família dos terrosos foi o grande destaque para looks de couro e camurça.

Na ala das produções com peças leves, Max Mara trouxe uma sobreposição interessante de maxicoat (com detalhe franzido nas laterais das mangas) e uma saia superfluída por baixo. Já na Tom Ford, o vestido dá continuidade ao lenço delicado e refinado feito com seda. Para a Chloé, Natacha Ramsay-Levi explorou um decote V profundo no modelo composto por vários miniplissados. Dá um movimento tão chique!

 

5 pessoas curtiram este post