Pré-Fall 2018: Stella McCartney, Tibi e Max Mara

Destaque

Artes1

Um contraste de cenários. Eu diretamente do QG F*hits em Trancoso, com dias ensolarados, fazendo a lista de desejos das coleções de Pré-Fall. No post passado, selecionei alguns destaques que marcaram as criações da Gucci, Dior e Valentino, com suas apostas de shapes, cores e peças-chave. Desta vez, resolvi falar de três das minhas marcas preferidas que apresentaram propostas elegantes, modernas e atemporais.

Começando por Stella McCartney que sempre me surpreende! A sua estética minimalista, com um mix de linhas retas e silhuetas X, ganhou ainda mais sofisticação em vestidos e casacos com formas definidas e feitos em materiais encorpados. A cartela de cores é marcante, que transforma branco, tons pastel e acinzentados em verdadeiros protagonistas. Destaque para os tênis brancos, que permanecem com força total!

Artes2

Na Tibi, o Pré-Fall teve uma injeção cool para dar ainda mais charme aos chemises, vestidos com estampa de camisaria e vestidos com detalhes super femininos. No modelo assimétrico, a padronagem listrada está recortada em diversos sentidos – horizontais, verticais e diagonais – dando um toque contemporâneo e uma nova cara à padronagem tipicamente boyish.

Artes3

Maxicoats e overlaying resumem o sempre chique da Max Mara. O diretor criativo Ian Griffiths celebrou o icônico modelo 101801 de diversas formas. Eles surgem em cortes retos, linha trapézio, tonalidades que variam entre terrosos e neutros (com predominância do branco), e, em alguns casos, contracenando com outro modelo semelhante por baixo, acompanhado de cinto e bolsa entre uma peça e outra. Nos pés, calçados inspirados nas versões masculinas foram os escolhidos para arrematar as produções da estação.

Já escolheu a sua coleção preferida? Aguarde que vem mais!

Seja o primeiro a curtir.

Pré-Fall 2018: Dior, Gucci e Valentino

Destaque

Arte1

Foi dada a largada para a temporada de Pré-Fall 2018! As coleções vêm cheias de peças marcantes e tonalidades clássicas dos dias frios, com detalhes mais discretos, mas de forma repaginada. O trabalho surpreendente ficou por conta da combinação de texturas, materiais e na escolha das estampas certas. O comprimento mídi liderou as criações e surgiu em saias, vestidos e casacos.

Para começar, Maria Grazia Chiuri apresentou seus desejados vestidos de tule com transparência dividindo espaço com itens do guarda-roupa masculino para a Dior. Calças de alfaiataria com corte reto, sapatos com fivelas e casacos com gola de paletó contracenaram com elementos com estética tradicional da maison francesa. Tudo em uma sintonia chique e jovem, acompanhando a proposta da diretora criativa italiana.

Artes2

Entre as construções maximalistas, Alessandro Michele acrescentou visuais monocromáticas e mais sóbrias, mas não menos cool para a Gucci! Preto, vermelho e terroso predominam em looks de vestidos longos e trench coats. Adorei o mix das três cores na produção composta pelo casaco black & red e nas botas claras.

Artes3Na Valentino, Pierpaolo Piccioli investiu na sua cartela preferida. Aqui, vermelho e preto surgem em modelos longos, leves e cheios de feminilidade e sofisticação. Os pontos-chave? Padronagem poá, silhueta acinturada, além do contraste e tecidos, como veludo e tule.

E  vem mais novidades por aí! A temporada de Pré-Fall é longa e ainda falta conferir as criações de outros nomes favoritos, como Stella McCartney!

1 pessoa curtiu este post.

Trend hits: Sleep Dress

Destaque-1

Arte-1

O ar boudoir parece não sair de cena nas passarelas. Inclusive, repare em como algumas tendências são atemporais. Apesar de algumas adaptações e evoluções no styling, os vestidos acetinados e feitos em crepe de seda surgem em propostas elegantes, esportivas e modernas. Eu adorei o quanto esta estética quebrou certos paradigmas e foi uma espécie de “porta” para mostrar o quanto a moda urbana vem reunindo peças de diversos universos – às vezes, no mesmo look.

Nas coleções, vi que algumas cartelas de cores se destacaram em criações femininas e cheias de personalidade. Para começar, o rosa pastel é uma das opções que mais ganhou espaço em modelagens amplas, como o longo da Valentino, que trouxe uma mistura romântica de tecidos e tonalidades, que destacou ainda mais o modelo. Já na Sportmax, o toque atlético ficou por conta do elástico bicolor localizado no decote e em pontos estratégicos, como cintura e na borda da saia. O shape girlie da Salvatore Ferragamo ganhou ainda mais atitude com a fenda e os pespontos no busto.

Arte-2

Tons de nude e acinzentados também são escolhas certeiras, ainda mais se a intenção é dar uma pitada futurista para o visual. Coach 1941 e Paco Rabanne investiram no champagne e pêssego, respectivamente, para contrastar com acessórios impactantes, como as botas metalizadas e as sapatilhas terrosas com transpasse de tiras. Com mangas levemente bufantes, o vestido de Sonia Rykiel surgiu com pouca pele em evidência e cheio de sofisticação.

Arte-3

Se a ordem é apostar em cores vibrantes, algumas marcas mostram suas versões de formas marcantes. Nina Ricci optou por franzidos que partem do decote à cintura com amarração no sleep dress vermelho. Na Valentino, o roxo foi o eleito para dar suavidade ao modelo de seda impecável. Com recortes na cintura e comprimento curto, Sonia Rykiel desfilou um tipo de chemise rosa com perfume jovem e fresco. Muito cool!

Já escolhei a sua versão ideal para ter no guarda-roupa?

1 pessoa curtiu este post.