Beauty hits: Make com tons terrosos

Quando falamos sobre versatilidade na beleza, imediatamente, pensamos logo nos neutros como bons aliados para um resultado elegante no make. Mas, no caso, dos terrosos, o visual pode ir além. As variações da cartela marrom pode ser uma forma de transformar completamente o look, trazer texturas marcantes e ainda criar uma composição perfeita para usar à noite, sem deixar aquele aspecto carregado. Afinal, nos últimos anos, a ideia de investir, cada vez mais, em maquiagens com aspecto leve, fresh e natural é uma realidade. E a tendência se encaixa bem neste conceito.

Entre os queridinhos das beauty experts estão as sombras que variam do terroso quase nude (com pitadas adocicadas de rosa) ao terra, passando pelo bronze. O incrível é como cada acabamento, seja ele mais cremoso ou acetinado, pode dar aquela iluminada na produção. Para a proposta da Paulinha Sampaio, o produto fez a vez de delineador e marcou tanto pálpebras quanto linha inferior. Já nas passarelas de Elie Saab e Tom Ford, o efeito esfumado foi o protagonista do visual, deixando pouca interferência na pele e lábios.

 

Para os lábios, há dois tons que estão entre os preferidos pelas fashionistas. De um lado, o terracota é o mais usado para batons de acabamento cremoso, enquanto o marrom é a aposta para fazer algumas composições de efeitos, como o degradê.

Se a ideia é trazer a família terrosa para olhos e boca, vale brincar com texturas e diferentes nuances. Tanto na coleção de Fall 2019 da Yajun Studio quanto na proposta de Alice Salazar, exemplos de como usar o mesmo tom de variadas formas e criar uma produção cool.

Fico tão contente em ver tendências e estilos surgindo renovados. É uma forma de torná-los mais fáceis e práticos para usar no dia a dia, com adaptações perfeitas para uma série de ocasiões.

F*Hits + Dior em Arles

Esse tempo aqui na Europa tem sido muito especial. Um verdadeiro momento para colecionar uma série de experiências únicas, ao lado de pessoas incríveis. Sem falar que, dentro do contexto “moda”, vivenciar algumas histórias nos permite criar uma relação ainda mais forte com o DNA de algumas marcas. No caso da Dior, além da viagem deliciosa que fiz a Grasse, posso dizer que me surpreendi com um convite para ir à comuna de Arles. Até setembro, a cidade se transforma na capital da fotografia e a marca foi a primeira a apoiar o evento, em 2017, com a obra “Annie Leibovitz: Archive project #1: The early years”. Neste ano, a maison francesa retorna para a segunda edição do projeto. E isso mostra como o vínculo com a arte é genuíno.

 

Por lá, acontece o “Dior: The Art of Color”, prêmio internacional de fotografia da Dior para jovens talentos, que é uma competição pensada para incentivar o diálogo entre escolas de artes e fotografia ao redor do mundo. A segunda edição do “Prêmio de Fotografia para Jovens Talentos”, que foi desenvolvido com a escola francesa ENSP e oferecida pela Luma Arles, está aberta a estudantes de fotografia e recém-graduados vindos de países como França, Reino Unido, Estados Unidos, China, Coreia do Sul, Japão, Suíça, África do Sul, Oriente Médio e México, primeiro país da América Latina a participar. O tema da vez foi “Face das Mulheres” e nas palavras “Cor”, “Feminilidade” e “Beleza”. Há uma menção especial para o trabalho que revela “Joy” (alegria), que faz referência à fragrância mais recente da casa, Joy by Dior. Tive a chance de encontrar a vencedora do prêmio, Gangao Lang, e um dos nomes mais importantes da Dior, como Peter Philips, o diretor criativo de imagem e maquiagem da maison.

De um passeio por um campo de girassóis ao Amphitheatre da cidade, que foi construído por volta dos anos 90 D.C. Lá, o ar é leve e tem uma luz inexplicável. Cada canto de Arles traz detalhes encantadores. E nada mais justo que levar artistas e fotógrafos a esta região tão deslumbrante. Um lugar para suspirar e querer guardar cada lembrança com muito carinho na memória.

Dior em Grasse

Após os dias deliciosos em Firenze, com toda a experiência de iniciar meu programa de Pós-Graduação em Fashion Marketing and Communications, pude vivenciar momentos tão especiais e com tanta história para contar. Saí da Itália em direção a Grasse, uma cidade localizada nos Alpes Marítimos na Costa Azul da França, para descobrir os ares encantadores da região conhecida pela sua relação direta com o mundo das fragrâncias. Isso porque lá é considerado o lugar onde as grandes casas de moda e perfumaria buscam suas matérias-primas, em campos de flores surpreendentes. O mais curioso? Grasse era o refúgio de Christian Dior e era lá que o estilista se dedicava à paixão por flores e jardins, de onde surgiram as criações de seus perfumes mais icônicos.

Para conhecer melhor este universo, fizemos uma visita guiada pela LES FONTAINES PARFUMÉES, um prédio, construído em 1640, onde hoje nascem os perfumes da Dior, pelas mãos do perfumista François Demarchy. Nos jardins, são 350 essências, com destaque para a Rosa de Maio. Nos arredores da cidade, ficam os campos de flores exclusivos da marca, que vão servir de ingredientes para os perfumes da maison, como J’Adore, Miss Dior e Joy.

Na região também há um outro cantinho mágico, onde Christian Dior costumava passar seus verões. O Château de La Colle Noire foi uma residência em que o estilista cultivava rosas e jasmins para seus perfumes. Apaixonado por flores desde a infância, ele sempre se considerou um perfumista, além de um costureiro. Prova dessa relação tão próxima com os perfumes foi quando, em 1947, lançou o primeiro Miss Dior. E a apresentação da criação foi em uma ocasião extremamente especial. O aroma foi apresentado com borrifadas durante o icônico desfile “New Look”. Ao longo das décadas, foram surgindo novas versões da fragrância, mas sempre mantendo a proposta feminina e elegante pensada por Dior.

Após sua morte, em 1957, o Château teve outros donos, mas há alguns anos a marca readquiriu a propriedade e deu início a uma renovação completa para preservar a herança de seu fundador. Os jardins e a mansão foram restaurados, assim como a decoração dos ambientes seguiu o estilo concebido pelo próprio Monsieur Dior, misturando um estilo provençal com mobiliário Luís XVI.

Passar o dia imersa em uma história única e tão marcante na história da moda, onde a tríade beleza, bondade e verdade guiaram o caminho de um homem. Incrível poder conhecer os detalhes do legado de Christian Dior.