Welcome, Paula Costa!

Quem acompanhou os últimos vídeos no nosso IGTV já sabe que temos uma nova integrante no F*hits team. É com muito orgulho que apresento Paula Costa, uma carioca talentosa e cheia de boas vibrações. Ela é artista contemporânea e conheci o seu trabalho por meio da minha irmã, amiga e F*hits art curator Ana Carolina Ralston. Foi um encontro tão gostoso! A singularidade de sua obra guarda delicadeza, força, coragem, feminilidade, transformação e encontra, na beleza da finitude, uma maneira de se relacionar com sua própria história. Nossa primeira artista na plataforma é dona de uma luz única, além de uma sensibilidade inspiradora, que permeia com naturalidade a arte e a comunicação. Paula diz com sabedoria que o desejo de todo artista é se comunicar e que fazer parte dessa nova maneira de compartilhar via mídias sociais digitais traz potência para esse contato com as pessoas.

Assim como a moda, a arte é um núcleo muito importante para o nosso dia a dia. É sempre bom ter este contato com artistas, que nos mostram diferentes formas de diálogo e, como a própria Paula diz, a comunicação é composta por várias camadas de expressão. Da parte dela, podemos esperar muitas inspirações e experiências de como vivenciar esse universo tão rico e vivo.

No final do ano passado, ela inaugurou uma exposição em São Paulo chamada “Ephemera”, do projeto Emma POP, na Galeria Emma Thomas. Com curadoria de Ana Carolina Ralston, a mostra trouxe fotografias, bordados em flores e folhas (no lugar do pincel), além de uma instalação com flores caindo do teto do espaço. Uma reflexão sobre o tempo e a vida em transformação.

 

Desejo boas-vindas e te recebo para o novo, para uma trajetória de comunicação aberta sobre a arte e a transformação que ela nos oferece. Que seja uma chance especial para levar mais informação e aproximar as pessoas deste mundo tão belo.

Sheila Hicks no The Bass Museum of Art

Além de todo o universo fashionista se destacar nas últimas semanas, Miami também é conhecida por ser um dos destinos mais queridinhos entre os apaixonados por arte e design. Afinal, é lá que acontece a Art Basel, evento de grande importância no universo artístico.

Se você está com passagem marcada para a cidade até o final do mês de setembro, saiba que o Bass Museum of Art está com uma a exposição chamada “Open Field”, da artista americana Sheila Hicks. Ela é considerada a responsável por consagrar o retorno do têxtil ao campo da arte. Suas obras, há mais de meio século, oscilam entre arte, design, artesanato e arquitetura.

A mostra Campo Abierto explora os diversos aspectos formais, sociais e ambientais dos cenários que estiveram presentes ao longo da carreira de Sheila Hicks. São vários grandes formatos de instalações, bem como trabalhos mais intimamente dimensionados, que utilizam e transformam a arquitetura das galerias do The Bass. A seleção de obras mostra uma combinação entre várias linguagens, que atravessam ondas e padrões complexos de imigração, ao lado de preocupações ambientais. Tudo de uma forma colorida, trazendo destaque para as texturas dos fios, algumas vezes trabalhadas de maneira linear, outras em propostas irregulares, criando efeitos especiais.

Minha gratidão aos artistas que através de sua sensibilidade traduzem e transmitem em suas obras o que precisamos aprender e entender enquanto estamos aqui na Terra. Sheila Hicks e sua “Escalada além das cores da terra“. E eu diria escalada além de todas as diferenças, porque, afinal, somos todos humanos. We are one. Que possamos internalizar novas atitudes para melhores relações.

F*Hits + Dior em Arles

Esse tempo aqui na Europa tem sido muito especial. Um verdadeiro momento para colecionar uma série de experiências únicas, ao lado de pessoas incríveis. Sem falar que, dentro do contexto “moda”, vivenciar algumas histórias nos permite criar uma relação ainda mais forte com o DNA de algumas marcas. No caso da Dior, além da viagem deliciosa que fiz a Grasse, posso dizer que me surpreendi com um convite para ir à comuna de Arles. Até setembro, a cidade se transforma na capital da fotografia e a marca foi a primeira a apoiar o evento, em 2017, com a obra “Annie Leibovitz: Archive project #1: The early years”. Neste ano, a maison francesa retorna para a segunda edição do projeto. E isso mostra como o vínculo com a arte é genuíno.

 

Por lá, acontece o “Dior: The Art of Color”, prêmio internacional de fotografia da Dior para jovens talentos, que é uma competição pensada para incentivar o diálogo entre escolas de artes e fotografia ao redor do mundo. A segunda edição do “Prêmio de Fotografia para Jovens Talentos”, que foi desenvolvido com a escola francesa ENSP e oferecida pela Luma Arles, está aberta a estudantes de fotografia e recém-graduados vindos de países como França, Reino Unido, Estados Unidos, China, Coreia do Sul, Japão, Suíça, África do Sul, Oriente Médio e México, primeiro país da América Latina a participar. O tema da vez foi “Face das Mulheres” e nas palavras “Cor”, “Feminilidade” e “Beleza”. Há uma menção especial para o trabalho que revela “Joy” (alegria), que faz referência à fragrância mais recente da casa, Joy by Dior. Tive a chance de encontrar a vencedora do prêmio, Gangao Lang, e um dos nomes mais importantes da Dior, como Peter Philips, o diretor criativo de imagem e maquiagem da maison.

De um passeio por um campo de girassóis ao Amphitheatre da cidade, que foi construído por volta dos anos 90 D.C. Lá, o ar é leve e tem uma luz inexplicável. Cada canto de Arles traz detalhes encantadores. E nada mais justo que levar artistas e fotógrafos a esta região tão deslumbrante. Um lugar para suspirar e querer guardar cada lembrança com muito carinho na memória.