FHits Fashion Mother’s Day no Rio de Janeiro

Blog-capa

Blog-capa

Após passar por outras capitais, como Porto Alegre e Belo Horizonte, com o FHits Fashion Day, foi a vez do Rio de Janeiro. Aliás, que dias maravilhosos! É muito bom ver meu dream team reunido em uma cidade tão especial para um evento para falar de moda – e esta edição foi dedicada às mães.

Foram dois dias de evento. No primeiro, que começou com a vista deslumbrante do hotel Yoo2 Rio, que fica em Botafogo, entre o Pão de Açúcar e o Corcovado, teve a sessão de autógrafos do meu livro “Moda À Brasileira”, na flagship da Riachuelo em Ipanema. Como sempre, é uma troca de energia tão única! Adoro ouvir os comentários de quem já leu e se identifica com algum dos capítulos.

Blog-1

E quem me acompanhou desta vez foi Helena Lunardelli, Rebeka Guerra, Re Uchôa, Constanza Fernandez, e, claro, as carioquíssimas Luiza Sobral, Thereza Chammas e a dupla Mariana Reis e Fernanda Britto. Fico muito orgulhosa de apresentar a nossa nova loira do time, Carolina Jannini.

Blog-2No dia seguinte, foi a vez do Village Mall receber o FHits Fashion Mother’s Day. Como disse no início, segue a mesma ideia das outras edições, mas especial para o Dia das Mães. Cada uma das lojas teve uma seleção das nossas peças preferidas e, logo no final, aconteceu um desfile assinado pelo FHits Team com as principais tendências que identificamos, como shapes assimétricos e alongados, alfaiataria desconstruída e modelos ricos em texturas. E não poderia faltar o lançamento do meu livro a convite da label Lafort. Foi um sucesso!Blog-3

beijos, alice

304 pessoas curtiram este post

Leia também:

O Resort 2018 da Louis Vuitton

Capa

Capa

Da Califórnia para uma cidade próxima de Kyoto. Essa foi a longa viagem que os fashionistas precisaram fazer após conferirem a apresentação de Resort da Dior – e seguir para o seu destino no Japão, o país escolhido por Nicolas Ghesquière para realizar o desfile da Louis Vuitton. Afinal, após a incrível experiência em solo carioca, o estilista precisava surpreender novamente, não é? Tudo tinha uma sintonia – do cenário deslumbrante no Miho Museum a cada item desenvolvido pelo diretor criativo.
3

Agora vamos à coleção! Para começar, acho incrível que a cultura oriental esteja, cada vez mais, ganhando espaço nas roupas, acessórios e na beleza. Vi tanto nas últimas semanas de moda. Aqui, Ghesquière escolheu as armaduras de samurais como ponto de partida para suas peças ricas em texturas, brilhos e bordados. Não pense em encontrar looks simples. Aliás, a combinação de tantos elementos nada óbvios é uma das expertises de Nicolas. Exemplo? Os metalizados canelados com camisas listradas, lenços estampados no pescoço e calça de alfaiataria bicolor. Sem citar as bolsas, que surgem adaptadas para cada tema sempre trazendo os símbolos tradicionais da maison francesa.

6

Com diversos shapes, os vestidos brilhantes, alguns com paetês e outros com glitter, surgiram com propostas diferentes. A versão curta com mangas largas e bordado com referência na arte inconfundível do estilista japonês Kansai Yamamoto. Desta vez, um look sem sobreposições, mas acompanhado de botas de cano curto com relevos e bico fino. O dourado longo coberto por cristais era pesado, mas maleável. Por baixo, o styling contou com uma saia de renda floral transparência ultraleve. E com calça justa e jaqueta de crocodilo? Também teve! Só que, agora, mais curto e com barra assimétrica.

2

Falando em armaduras, uma reprodução fashion em versão colete para sobrepor vestidos e camisetas brancas. Achei cool este equilíbrio entre pesos e materiais. 4

Já nas padronagens, que prometem ser hit, desenhos caóticos e uma espécie de nuvens camufladas decoram looks das cabeças aos pés. Sem falar que a sintonia das cores é incrível e usável.5

Pronta para a próxima apresentação de Resort?

206 pessoas curtiram este post

Leia também:

O Resort encantador da Dior

1

1

 

É incrível como cada apresentação de Resort (alguns chamam de “Cruise”) é surpreendente e inesperada. E nada se compara às apresentações durante as fashion weeks tradicionais outono-inverno e primavera-verão. É um show de criatividade que ultrapassa fronteiras – e oceanos, literalmente. O terceiro grande evento foi da Dior em solo californiano. Uma atmosfera tão rica em cultura e nada óbvia. Afinal, quem imaginaria que Maria Grazia Chiuri escolheria a Reserva Natural Las Virgenes, em Calabasas, para ser cenário da sua coleção? Bom, para a primeira Cruise da estilista, era realmente importante deixar todos de boca aberta.

2

Entre tantos fashionistas preparados para ver uma série de hits – que vai desde as roupas à beleza assinada por Peter Philips -, os suspiros foram incessáveis. Digo isso porque fiquei apaixonada. Achei incrível o ponto de partida da criação das peças e de todo o conceito. Começou com as pinturas rupestres que foram encontradas nas cavernas de Lascaux, no sudoeste da França. Pense em uma série de flores pintadas à mão em saias e ponchos longos franjados no maior ar Navajo. Adorei os chapéus com desenhos e aplicações de pedras na borda da cúpula. 3

O trabalho de handmade, além do toque artsy, também foi visto nos vestidos feitos com pontos de crochê e cobertos por listras coloridas. Já as icônicas e desejadas fitas com o escrito “Christian Dior” apareceram em outras versões de longos, sendo alguns feitos de camurça e com a silhueta superfeminina, outros cheios de franjas vermelhas. Os fluidos monocromáticos com decote V também marcaram presença em looks com ou sem sobreposição de camisa.4Outro destaque que amei foi a cartela terrosa em maxi casacos, vestidos de tule bordados e nos vestidos com padronagem xadrez bem campestre. É chique e atemporal!

E, mais uma vez, a estilista traz a força da sua mulher Dior com uma história diferente para contar – e encantar, claro.

beijos, alice

205 pessoas curtiram este post

Leia também: