menucelular

fecharmenu

Fall 2018 Couture: Giambattista Valli, Alberta Ferretti e Givenchy

Brilhos, bordados e materiais super sofisticados! Sem dúvida, é o que não falta durante a Semana de Alta Costura. As criações são tão especiais, e feitas com excelência e exclusividade nos ateliês das marcas, que parecem um sonho. Para a temporada de Inverno 2018, as grifes tiveram o desafio de renovar a estética das peças e dar um toque de modernidade.

Começando por Giambattista Valli, que foi além na hora de provar que Haute Couture não é composta apenas por vestidos supervolumosos com espartilhos. Desta vez, o estilista, que tem completa noção de que seu público também é jovem, escolheu deixar parte da barriga de fora e dar espaço para calças de cintura alta e croppeds. Veja como as modelagens são ajustadas e sugerem uma proposta cool e sofisticada ao mesmo tempo. Nas peças dentro da cartela neutra, o estilista apostou nas penas e plumas para criar uma brincadeira de texturas incrível no visual all white, que ainda conta com transparências na blusa. Já na ala dos monocromáticos pretos, uma variação entre vestido com franzido + laço na região do decote e aplicação de cristais por todo o modelo, além do combo top + saia com bordados contrastantes em branco.

A italiana Alberta Ferretti apresentou a sua Limited Edition, label específica para consumidoras em busca de peças de ocasião, com detalhes artesanais e fabricações one-of-a-kind. Conhecida pelas combinações espetaculares de elementos, Alberta deu vida à sua coleção com uma abundância de franjas de seda, que dividiam espaço com ternos de smoking inspirados nas versões usadas por Bianca Jagger, com direito a muito brilho em paetês brilhantes com efeito glam. Há também as modelagens fluidas, que variam entre vestidos bicolores com transparência e plissados em efeito assimétrico e conjuntos full white compostos por macacão e capa com visual extremamente chique e clean. Uma brincadeira de contrastes ao longo do desfile que deu certíssimo!

Com palco armado no belíssimo Musée des Archives Nationales, a estilista britânica que eu amo, Clare Waight Keller, resgata na história da Givenchy, as mais icônicas criações do gênio e fundador da maison, Hubert de Givenchy. Como uma conversa entre tempos e uma homenagem emocionante, a coleção de inverno couture propõe uma visão minimalista sobre os principais códigos da grife: aqui, a feminilidade, não menos frágil, é delicada mas muito potente – pense em capas longas e trench coats sobrepondo vestidos deslumbrantes repletos de plumas e paetês. Nos acessórios, maxi colares e handcuffs sugerem a força de mulheres gladiadoras. Uma apresentação para admirar cada detalhe e, sem dúvida, se apaixonar.

E ainda não acabou! Esta estação tem muito para nos surpreender ainda.

3 pessoas curtiram este post

Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Blog da Alice Ferraz 2013®. Todos os direitos reservados.