Trend Color: Mint Green

A cartela da temporada mais quente parece ter um novo protagonista. O mint green domina as passarelas e traz todo o seu frescor para visuais urbanos e superfemininos. As passarelas provaram que não há limites para o tom pastel, que surge em diversos materiais, texturas e shapes. Repare em como ele transita muito bem entre vestidos acetinados, transparentes e chega à alfaiataria com tanto poder e elegância. Sies Marjan brincou com as nuances de verde e fez uma sobreposição de claro x escuro em uma produção de vestido plissado assimétrico e calça. Já Marine Serre optou pelo conjunto de tailoring composto por blazer e saia. Adorei o contraste das peças com a meia-calça estampada! É uma tendência que permanece fortíssima. Pierpaolo Piccioli também se rendeu ao menta e apresentou um modelo deslumbrante com camadas de tule bordado. Na mesma sintonia cromática, o meu look monocromático trouxe a mesma tonalidade, com mangas recortadas que dão um toque de sofisticação na medida. 

Das opções suaves às fortes, o mint green trouxe produções ricas em detalhes. Michael Kors elegeu o jacquard como elemento-chave para transformar a sua alfaiataria, enquanto Diane von Furstenberg apostou nas franjas aplicadas em várias partes do vestido.

Entre as fashionistas, a tendência ganhou outras interpretações modernas. Lalá escolheu a combinação de cropped verde e calça de cintura alta terrosa. Já Helena Lunardelli criou uma proposta chique com o seu jumpsuit tomara-que-caia, item ideal para alongar a silhueta e transitar entre diversas ocasiões. Com ar de verão em balneários italianos, Carol Bassi surgiu com um longo com decote off-shoulders, superleve e fresh. Um match perfeito para a estação mais quente!

Seja o primeiro a curtir.

Animal Print: Leopardo

Não há dúvidas sobre a soberania do animal print na moda. É um verdadeiro clássico, que marcou a glamurosa década de 1950 por ser o preferido das divas do cinema, como Marilyn Monroe e Elizabeth Taylor, e os anos 1980, com sua estética vibrante e brilhante. Hoje, vemos diversas reinterpretações da estampa em visuais sofisticados e urbanos, que acompanham a rotina da mulher moderna. Reparei que o padrão leopardo vem se destacando entre a família felina, com suas manchas na tradicional combinação terrosa e nas variações coloridas.

Nas passarelas, uma série de versões para usar da cabeça aos pés. Na Tom Ford, o mood 80’s dominou completamente a alfaiataria que brinca com a estampa em vermelho. Já nas coleções de Carolina Herrera, Roberto Cavalli, Leonard e Max Mara a aposta foi na combinação neutra, com fundo claro e pintas pretas, para um ar mais mais minimalista.

Há também a ala de marcas que apostaram na estética original e investiram pesado em produções impactantes – com toques de cor. Na norte-americana Michael Kors, o trench coat fez match perfeito com o scarpin estampado. Raf Simons criou um visual composto por casaco de lã e vestido com referência no uniforme dos bombeiros nova-iorquinos para o Inverno 2018 da Calvin Klein. Para a Burberry, Riccardo Tisci optou pela saia em contraste com a blusa texturizada nos tons mesmos tons terrosos. Com contraste de vermelho e laranja, a R13 acrescentou um toque de cor na blusa e sapato para quebrar o full tailoring.

Nas ruas, as fashionistas estão investindo em propostas cool e elegantes para usar tanto no inverno quanto no verão. A estrela f*hits Carol Jannini criou um visual que brinca com a monocromia da alfaiataria branca com sobreposição de um maxicoat estampado. Já Silvia Braz escolheu uma composição que lembra os visuais usados durante o verão italiano, com blusa de recorte princesa e saia mídi com animal print. Para um look workwear elegi a alfaiataria com mix de tons pastel na padronagem, que traz feminilidade e delicadeza na medida.

Pronta para escolher a estampa leopardo para chamar de sua? Há uma infinidade de inspirações para acrescentar no dia a dia e em ocasiões especiais também!

Seja o primeiro a curtir.

Leonard Paris

É indiscutível que a França tem as casas de moda mais importantes e tradicionais do mundo. Afinal, é por lá que grandes criadores contemporâneos passaram, estudaram e tiveram suas experiências. Hoje, além das icônicas Dior, Chanel, Louis Vuitton, Saint Laurent e Givenchy, por exemplo, há nomes menos conhecidos por aqui, mas que têm muita história para contar e relevância para o mundo fashion. Entre elas está a Leonard Paris que, assim como a Poiret, está de volta à cena com muita força. A label se manteve desfilando nas passarelas francesas, mas, recentemente, tem valorizado cada vez mais sua trajetória. Na última Paris Fashion Week, fui ao desfile e foi tão especial. Inclusive, lembrei que a primeira peça estampada que comprei, de uma marca internacional, foi da Leonard. Isso porque a grife, criada por Daniel Tribouillard, é conhecida pela revolução no processo de desenvolvimento de padronagens florais no início da década de 1960. Em apenas alguns anos, encorajado pelo sucesso dos seus padrões floridos, Tribouillard expandiu a marca para o cenário mundial – em 1968 – Tribouillard apresentou sua primeira coleção de vestidos em jersey de seda com um slogan enfatizando a leveza do tecido. E, além de todo seu talento para a estamparia, o estilista foi contratado pelo governo japonês, em 1983, para atualizar o quimono, sendo conhecido como o primeiro ocidental a fazê-lo na história.

Eu, que sou encantada pelos vários tipos de flower patten, fico tão contente em ver que a marca apresenta uma série de versões super desejáveis, femininas e modernas. Há desde as versões mais miúdas, como feita para a coleção de fall 2014, às opções maxi, algumas com aparência digital, outras aquareladas. Os contrastes de tonalidades são incríveis, assim como o styling, que propõe novas formas de usar o floral. Um universo de inspirações sem fim!

 

 

2 pessoas curtiram este post